A Coesão Textual e a Construção do Sentido

Atualizado: 4 de nov. de 2021

Um dos princípios básicos de interpretação é o de que, num texto, o significado das partes não é independente, não é autônomo.

O significado de uma parte só pode ser realmente compreendido em confronto com as demais partes constituintes do todo.


A coesão é a responsável pela unidade formal do texto. Ela se constrói por meio de mecanismos gramaticais e lexicais. Entre eles, temos os pronomes, os artigos, a elipse, a concordância, a correlação entre os tempos verbais e as conjugações etc. Todos esses recursos expressam relações entre frases e sequências de frases dentro de um texto. Quando a coesão é bem utilizada, ela permite que a mensagem transmitida seja facilmente entendida. Para que isso ocorra, necessita de recursos, como palavras e expressões que têm como objetivo estabelecer a interligação entre os segmentos do texto. Esses recursos são chamados de mecanismos de coesão. Ao escrever um texto, as ideias devem se ligar umas às outras de modo a formar uma corrente lógica e contínua. A leitura se torna muito mais fácil, quando lemos um texto coeso. Podemos imaginar um texto coeso como se fosse um prato de arroz “unidos venceremos”, aquele que, mesmo que você o atire na parede, os grãos não se soltarão. Um texto com repetição excessiva de palavras torna-se extremamente cansativo. Além de ser desagradável para quem lê, mostra que quem o escreveu possui um vocabulário muito limitado e pobre. Para conectar e relacionar as partes de um texto, há diversos mecanismos. Veja, a seguir, os principais.

COESÃO REFERENCIAL Ocorre quando utilizamos expressões que retomam ou antecipam nossas ideias: ONDE Faz referencia a lugar em quê.

“O Vale do Silício é o local onde se encontram várias empresas de tecnologia"

Aqui temos o pronome “onde" retomando o substantivo “local". CUJO (E VARIAÇÕES) Estabelece uma relação de posse entre dois substantivos

“A internet é um celeiro de ideias cujo conteúdo nem sempre pode ser confirmado"

Aqui o pronome “cujo" aparece entre dois substantivos, indicando que as "ideias" possuem “conteúdo". QUE Faz referência a palavras ou uma oração inteira.

“A comunidade a que me referi é o Produção Multimídia"

O pronome “que" faz referência ao substantivo “comunidade". ESSE(A), ISSO Fazem referência a uma ideia já mencionada no texto.

“Hackers atacaram uma empresa de compra e venda de Bitcoins nos Estados Unidos. Esse foi o segundo ataque à empresa que se tem notícia"

O pronome “esse" faz referência à empresa, mencionada na frase anterior. ESTE(A), ISTO Apontam para uma ideia que será mencionada no texto.

"O mais interessante da internet é isto: derrubar fronteiras"

O pronome “isto" está antecipando algo que será declarado a seguir: derrubar fronteiras.

COESÃO LEXIAL Além de unir partes de um texto, a coesão lexical permite também evitar a repetição de palavras. Podemos utilizar: • SINÔNIMOS São palavras semelhantes que podem ser usadas em diferentes contextos, mas sem alterar o que o texto pretende transmitir. Usar sinônimos ao escrever um texto proporciona não apenas uma leitura agradável, mas também demonstra que o escritor domina seu idioma, que possui vocabulário rico.

"Esse cachorro faz festa para todo mundo. É um cão muito simpático".

Perceba que para evitar a repetição da palavra “cachorro”, utilizamos um sinônimo: “cão". • HIPERÔNIMO Palavra de sentido mais genérico em relação a outra.

"O computador é uma máquina que veio revolucionar. Atualmente, tornou-se indispensável por ser um instrumento capaz de armazenar grande número de informação, é uma das principais ferramentas de trabalho em todos os setores da sociedade atual".

Para fazer referência ao “computador”, utilizamos termos mais genéricos como: “máquina”, “instrumento" e “ferramenta”. HIPÔNIMO Palavra de sentido mais especifico em relação a outra.

“Adoro flores, portanto, este ano plantei margaridas”

Para fazer referência a "flores", utilizamos um termo mais especifico como: "margaridas". EXPRESSÕES NOMINAIS DEFINIDAS Sua compreensão depende do conhecimento de mundo do leitor. Steve Jobs faleceu em 2011. O fundador da Apple sempre foi elogiado por sua visão de praticidade aliada a designs inovadores e visão de mercado. A expressão "fundador da Apple”retoma o termo anterior “Steve Jobs”.

COESÃO SEQUENCIAL Na coesão sequencial, utilizamos os conectivos (principalmente preposições e conjunções) para estabelecer relações lógicas entre as partes do texto. Os principais são: • CONSEQUÊNCIA (OU CONCLUSÃO) Logo, portanto, por isso, pois, assim, então, em vista disso. Pedro estudou muito, portanto, obteve uma excelente nota. • CAUSA Porque, pois, por motivo de , visto que, como, uma vez em que, por causa de, em vista de, devido a. Carla obteve uma excelente nota, porque estudou muito. • OPOSIÇÃO Mas, porém, entanto, no entanto, contudo, todavia. Saiu cedo de casa, porém, chegou atrasado ao trabalho. CONDIÇÃO Se, desde que, caso, contanto que. Ela pode sair mais cedo, contanto que termine todo o trabalho. • FINALIDADE A fim de que, para que, com o objetivo de. Ele estudou muito, a fim de entrar na melhor faculdade.

Resumidamente, podemos dizer que a coesão textual trata da conexão harmoniosa entre as partes do texto. Ela permite a ligação entre as palavras e frases, fazendo com que ocorra uma sequência lógica. Além disso, os mecanismos de coesão contribuem para evitar as repetições, tornando os textos mais elegantes.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
guga-goncalves, curso-de-personal-branding-em-campinas, curso-de-personal-branding-em-sp,

Olá, que bom ver você por aqui!

Sou Guga Gonçalves, já ajudei mais de 500 empreendedores e profissionais liberais, de 78 mercados de atuação do Brasil, Austrália, Venezuela, Espanha e Estados Unidos a alavancarem suas empresas, marcas e negócios. 

Chegou a sua vez!

  • Facebook
  • Preto Ícone LinkedIn
  • Instagram
  • guga-goncalves, curso-de-personal-branding-em-campinas, curso-de-personal-branding-em-sp,