Construindo Sua Marca Pessoal

Quando falamos na construção de uma marca, temos uma grande responsabilidade, porque além dela contribuir na solução de um problema de consumo, ela também tem que ter a solução de um problema social.


Cada uma das marcas que conhecemos tem uma representação, uma voz, um posicionamento.

Por que isso? Porque uma marca é uma coleção de representações na mente de um consumidor.

Por exemplo: Se você tem uma guitarra de madeira sem uma logomarca, você tem um preço, porque até então ela é um instrumento feito de madeira com todos os elementos, sistemas e recursos que compõem essa guitarra. Quando você tem uma chancela construída de uma marca, você muda a percepção de valor dessa guitarra (SX, Tagima, ESP, Fender), podendo cobrar um preço maior, pois ela tem um valor agregado que o consumidor está disposto a pagar. O mesmo acontece com as origens da marca, como por exemplo, comparando uma Fender confeccionada no Japão e outra Fender feita nos Estados Unidos.


Isso acontece porque, de alguma forma, a marca impõe na mente do consumidor a sensação de segurança, proteção ou exclusividade, por ter uma determinada marca de um determinado país, em um limite escasso de produção, etc.

O primeiro passo na construção de sua marca pessoal é ter a percepção de que o consumidor quer algo além do próprio preço.

Quando as pessoas escolhem seguir alguém que realmente possa solucionar os seus problemas é porque identificam que existe um propósito.



Credibilidade


A gente pode dividir a credibilidade de uma marca em três etapas: sua identidade, que é aquilo que a autoridade da sua pessoa acha (e emana) que ela é; pela sua imagem, que é aquilo que o público acha ou se refere sobre quem você é; e pela reputação que tem um impacto muito grande sobre a imagem de uma pessoa, considerando você e aquilo que você oferece, como uma opção de compra.

O conceito de credibilidade da sua marca pessoal é quando você soma as percepções de diferentes públicos sobre a sua imagem. Dessa forma, as pessoas não irão ouvir somente aquilo que você diz nas redes sociais e em seus meios de comunicação multimidiáticos, mas sim o que as pessoas e seus clientes falam sobre você e como você é referenciado por essas pessoas. Isso acontece porque para medirmos uma reputação de uma marca pessoal, necessitamos ter base na experiência de outras pessoas conhecidas nossas ou influentes em nossos respectivos mercados de atuação que se referenciam em relação a nossa imagem.

O conceito de reputação ganha um poder muito grande na tomada de decisão. As redes sociais impactam muito na referenciação de pessoas.

Uma reputação emocional tem uma correlação emocional na mente do seu consumidor que gerará a intenção de analisar os seguintes tópicos:

  • Se você realmente tem um estilo de vida congruente com aquilo que você prega em seus canais de comunicação. É por isso que as pessoas postam tantos conteúdos do seu estilo de vida, seu dia a dia, momentos de lazer, descontração, viagens, aquisições e entretenimento.

  • Se você vende seus serviços e produtos

  • Se existem outras pessoas fazendo uma metamodelagem sua e do seu estilo de vida. É quando as pessoas querem se espelhar em você.

  • Se investidores incentivam o seu negócio através de patrocínio

  • Se influenciadores e tomadores de decisão referenciam aquilo que você faz ou oferece. Tudo isso gerará um elo emocional que será o pulso da sua reputação e será quantificado através dos graus dos seguintes elementos que você deve ter e estimular na mente de seus consumidores que são:

  • Estima

  • Admiração

  • Sentimento

  • Confiança Assim, quando pensamos na construção, em um determinado posicionamento, no reforço ou mesmo na reconstrução de uma marca pessoal, precisamos ter clareza de como está sua reputação perante o seu público-alvo e sua persona.

Existem 7 dimensões fundamentais para você que almeja ter uma reputação positiva, que são:


Referência Como você se posiciona perante o público que você almeja ser uma referência? Nós entendemos que a credibilidade sempre é dada àqueles que se posicionam perante temas, assuntos ou conflitos de discussão que causam divergência ou são mais polêmicos. Uma autoridade em um determinado mercado que tem sua construção de marca pessoal estabelecida de forma sólida e consistente, não pode ficar em cima do muro. Ela escolhe um lado para defender. Lembre-se: toda escolha tem uma renúncia. É impossível agradar a gregos e troianos.


Atuação

Os números são importantes, portanto, é fundamental o compartilhamento do seu desempenho e receita gerada. Afinal, tem muita gente por aí querendo largar aquilo que faz numa empresa ou num mercado mais engessado, buscando motivos e razões para ter a tal qualidade de vida tão almejada.

Inovação

Você realmente inova na velocidade em que o seu mercado de atuação exige?

Ambiente de Trabalho

As pessoas querem entender qual é o seu ambiente de trabalho, como é o seu dia a dia. Será que basta somente ter uma câmera na mão e um punhado de ideias?

Mostre seu ambiente de trabalho e estimule as pessoas a serem como você.

Valores

Cada vez mais as pessoas entendem que para se destacarem em seus respectivos mercados de atuação, elas precisam agir de forma ética e moral. Isso se faz através do propósito que é construído de acordo com os seus valores e princípios.

Cidadania

Qual é a sua responsabilidade social no seu meio de atuação? Você é uma pessoa que só quer vender loucamente, gerar os seus milhares de Reais ou você estimula a ajuda ao próximo, promove e executa ações sem fins lucrativos, cede o seu tempo às pessoas mais necessitadas para ajudar na transformação de um mundo melhor?

Então, se você quer realmente construir a sua marca pessoal, você terá que ter muito cuidado com a sua reputação.



Humanização


Os produtos surgem e desaparecem, mas as marcas ficam gravadas em nossas memórias. Hoje vivemos um novo momento com um novo padrão civilizatório. As pessoas que seguimos hoje não falam somente em números, elas se empenham em causas, contribuindo através de estímulos como um todo para a solução de problemas.


O Facebook, por exemplo, frequentemente pergunta se você é doador de sangue para estimular que possamos ajudar vidas. O Rock in Rio incentiva a sustentabilidade entre dezenas de ações sociais e ambientais.


Artistas se posicionam à favor ou contra Governos, de acordo com cada respectivo cenário.

Empresas mais formais criam personagens para humanização de sua comunicação, pois as pessoas não querem mais falar com empresas e sim com pessoas.


Esses são exemplos da importância da humanização de marcas e negócios que estimulam o vínculo social e ambiental.



Construindo a Sua Marca Pessoal


Na construção da sua marca pessoal você terá que ter uma voz ativa, uma identidade visual, um logotipo, um propósito e uma missão.

Será extremamente importante entender em qual mercado você está inserido, quem são os grandes players desse mercado, o quê (ou como) você faz de diferente, como irá se posicionar e, quais os problemas você estará predisposto a resolver.

Quando falamos de Felipe Neto, Emicida, Marcelo D2, Iza, Pablo Vittar, Anitta, Neymar, Drauzio Varela, nos referimos à alguns exemplos de pessoas com uma marca pessoal muitíssimo bem construída.

Também temos empresas, marcas e negócios que estão atreladas à grandes nomes mundiais como: Facebook do Mark Zuckerberg, Rock in Rio do Medina, Tesla do Elon Musk, Apple de Steve Jobs entre outras que você já deve estar lembrando agora.


Quando vemos que houve uma negociação, fusão ou compras multimilionárias e, em algumas situações até bilionárias de marcas, a pessoa não está comprando somente uma empresa, ela está comprando uma marca que tem muito mais valor do que seus produtos. Vide negociações da Tesla, Facebook, geração de receita do evento Rock in Rio. Todos os números exorbitantes são consequência do impacto da marca criada por uma pessoa.

E se estamos falando de marca pessoal, veja o contrato de Anitta com o Nu Bank, no valor de 36 milhões de dólares, para uso de sua imagem para o público vip que são usuários do cartão ultravioleta, assim como os contratos de Gisele Bündchen, entre tantos outros grandes nomes mundiais.

Agora você deve estar pensando: “poxa vida, mas você está se referindo a grandes nomes mundiais da poderosa mídia”. Alguns sim, mas são pessoas normais como eu e você que, algum dia, começaram sua jornada partindo do absoluto zero. E, em muitos casos citados, essas pessoas não dispunham das facilidades de comunicação multimidiáticas das redes sociais como temos hoje.


Eu não sei qual é o seu mercado de atuação, mas com certeza você deve ter seu grande ídolo que lhe inspirou e o fez chegar até aqui. Então, busque estudar a história do seu ídolo e, se em algum momento tiver a oportunidade de estar perto dele ou ter algum tipo de contato, não deixe de fazer a seguinte pergunta: “como foi para você chegar até aqui onde você chegou?”

Com certeza ele terá lindas histórias, repletas de ensinamentos para que você entenda um pouco mais sobre os processos de superação.


E aí, vamos construir a sua marca pessoal?




0 comentário

Posts recentes

Ver tudo