Fotografia Social

Você já foi o fotógrafo oficial de um aniversário da família, tentou fazer fotos de uma priminha de 2 anos que corria por todos os lados ou foi convidado para fotografar o show da banda de um amigo? Esses são apenas alguns dos possíveis caminhos que podem ser trilhados dentro da Fotografia Social, um nicho divertido e glamoroso, mas também muito desafiador.


Antes de aprendermos mais sobre o gênero, é necessário deixar claro que a expressão Fotografia Social não é uma convenção e é provável que você encontre definições diferentes. De modo geral, consideramos aqui a fotografia social aquela que está ligada à celebração de momentos importantes e memoráveis, consideradas por grupos e pessoas que transitam dentro da nossa sociedade.


Para facilitar a nossa caminhada, dividimos a Fotografia Social em duas vertentes: de um lado, a fotografia de eventos, como casamentos, aniversários, formaturas, shows e espetáculos; e, de outro, ensaios fotográficos de bebês, gestantes, casal e pets. Escolher um desses caminhos pode lhe ajudar a aprimorar seu trabalho e fortalecer sua identidade enquanto profissional.


Mas esteja atento, os limites nem sempre são claros e é comum encontrarmos fotógrafos que atuam em mais de um desses segmentos. Fotógrafos de casamento, por exemplo, quando estabelecem um bom relacionamento com seus clientes, acabam virando o fotógrafo da família e são frequentemente contratados para fotografar a chegada do primeiro bebê ou uma festa de aniversário.



Imagine um casamento. Quais os momentos mais importantes e que não podem ficar de fora do registro fotográfico? Lembrou de incluir a Sessão Pré- Wedding, aquela sessão de fotografias do casal realizada antes do grande dia? Essa é uma tradição americana que se tornou costume no Brasil na última década.




Fotografia de Pets (fotografia de animais de estimação) é outro exemplo de segmento que acompanha a mudança nos nossos costumes e comportamentos enquanto sociedade. O mercado de produtos e serviços para pets cresce na mesma medida em que nossa relação de afeto com os animais também aumenta.






Fotografia Social é um nicho de grande demanda, mas, em contrapartida, também é um dos mais concorridos. Por isso, conhecer o seu público e o que ele espera de você é fundamental para se destacar e conquistar o mercado. Tendo isso em mente, vamos analisar algumas dicas para a prestação de serviços de eventos e ensaios junto com trabalhos de profissionais bem estabelecidos dentro da fotografia social.



FOTOGRAFIA DE EVENTOS E CELEBRAÇÕES



Você consegue listar rapidamente cinco eventos diferentes dos quais já participou ou esteve presente? Quantos deles contavam com os serviços de um fotógrafo? E se fosse você, como fotografaria cada um deles? Um evento pode ser qualquer coisa que envolva um encontro de apenas algumas pessoas que estão celebrando algo especial, como um casamento, até um grande espetáculo com cobertura de imprensa, uma feira de negócios ou mesmo um show de rock.


A primeira coisa que devemos ter em mente quando falamos de fotografia de eventos é que trabalhamos com imprevistos e variações o tempo todo. Eventos podem ser tanto públicos como privados, pequenos ou de grande escala, com um número variado de convidados, de longa ou curta duração, com diferentes luzes e atmosferas. Independentemente das diferenças, listamos aqui algumas dicas de fluxo de trabalho que valem para qualquer ocasião.

PLANEJAMENTO É A BASE DE TUDO


Para minimizar imprevistos, o ideal é que você se planeje e colete todo tipo de informação possível sobre o evento. Comece conversando com o cliente, saiba quais são as expectativas, que tipo de foto esperam de você e sempre que possível peça uma lista prévia das imagens que precisa capturar. Ela pode ser geral ou detalhada, a questão é bem relativa.


Um cliente de uma festa de aniversário, por exemplo, pode escolher não apresentar uma lista e pedir que você faça apenas imagens espontâneas.


Mesmo em casos como este, estabeleça um protocolo pessoal e faça uma lista das fotos que não pode perder: fotos do aniversariante, de amigos mais próximos, do momento do parabéns e da decoração.

Em eventos corporativos, é importante que você conheça as pessoas que estarão presentes, quem vai fazer um discurso, quem está à frente do lançamento de um novo produto, o dono da empresa, enfim, pessoas-chave que não podem ficar de fora das fotos daquela empresa.



Espetáculos, por sua vez, não são feitos apenas do grupo teatral ou da banda. Há muita coisa por trás de uma produção cultural que deve ser considerada na hora das fotos: o figurino, a iluminação, a energia do público e as expressões faciais da plateia. Também conheça a programação e o roteiro para captar detalhes, como momentos-chave de uma atuação ou performance, um salto de dança ou efeitos especiais de uma peça de teatro.


Elabore uma lista de perguntas com tudo que precisa saber. Pense em perguntas objetivas e fáceis de responder e envie para seu cliente pelo menos 15 dias antes do evento. Na véspera, confira com ele se houve alguma mudança de cronograma ou alterações no planejamento que possam afetar o seu trabalho.


Saiba também quantas pessoas estarão presentes e confira se precisa de um assistente de iluminação ou de um segundo fotógrafo que ajude você a capturar todos os detalhes do evento. Em alguns eventos, como casamentos, um segundo fotógrafo é quase um imperativo.

Enquanto o fotógrafo oficial estiver focado, por exemplo, na entrada da noiva dentro da igreja, um segundo fotógrafo pode capturar a expressão do noivo ou a emoção de convidados ao ver a noiva pela primeira vez.


Muitos fotógrafos ingressaram na cobertura de eventos como assistentes ou segundos fotógrafos e essa pode ser uma boa forma para aprender sem ter que arcar com toda a responsabilidade que pesa sobre os ombros de um profissional desse segmento.


Ainda como parte do planejamento, pesquise sobre o local, sobre o que outros fotógrafos já fizeram ali, se trabalharam com a luz ambiente ou resolveram falhas de iluminação. A ideia não é copiar o trabalho de ninguém, mas estar preparado para criar e fazer diferente.

CONHEÇA E PREPARE O SEU EQUIPAMENTO


Quem trabalha com eventos deve prestar atenção redobrada ao seu equipamento. Eventos, principalmente celebrações, acontecem uma única vez e falhas no equipamento podem arruinar por completo o registro daquele momento. Primeiro, considere o investimento em uma segunda câmera. Ela não precisa ser igual à sua câmera principal, pode ter um corpo digital inferior, mas o importante é que seja da mesma marca e que ambas compartilhem as mesmas lentes.


A mesma ideia se aplica às objetivas. Invista em uma lente que possibilite a você imagens mais nítidas, geralmente com valores de abertura de f 2.8. a f.1.2, e sempre carregue uma lente extra com você.

Infelizmente, a máxima “quanto mais caro, melhor” está correta quando falamos de lentes e, para não extrapolar no orçamento, você pode optar por lentes de zoom que proporcionam a você certa flexibilidade de movimento e de enquadramento.



Acessórios também são tão importantes quanto o conjunto câmera e lente. Sempre tenha cartões de memória extras na bagagem. Na hora de comprar cartões, considere o tipo de arquivo com que irá trabalhar.


O mesmo se aplica às baterias. Quando comprar o equipamento, informe-se sobre o tempo de duração das baterias e calcule a quantidade necessária de acordo com o tempo de duração dos eventos que vai fotografar. E claro, antes de sair de casa, confira se todas as baterias estão carregadas!


Finalmente, o cenário ideal para todo fotógrafo de evento seria trabalhar com a luz ambiente e capturar a atmosfera do momento, mas essa é tarefa, muitas vezes, impossível em eventos noturnos. Portanto, luzes externas à sua câmera, como flash ou painéis de LED, também não podem faltar.


Flashs costumam ser mais potentes e com eles você ainda pode explorar a técnica da segunda cortina sobre iluminação. Ela é usada, na maioria das vezes, em shows, baladas, pistas de dança de casamentos ou em algum assunto que envolve captação de movimento e emoção do momento do registro.

PERMITA QUE A CÂMERA AJUDE VOCÊ


Não queira fazer tudo sozinho, capturar a melhor expressão ou momentos que duram frações de segundo exige agilidade, portanto, escolha configurações de câmera que ajudem você nesse sentido. Controlar o triângulo da exposição (abertura da lente, velocidade do obturador e ISO) é fundamental, mas não precisa ser feito inteiramente de forma manual. Entre as configurações automáticas e manuais da sua câmera, existem dois Modos de Prioridade (Priority Modes) que ajudam você a fotografar de forma mais rápida e são muito úteis para a fotografia de eventos. Utilizar um modo de prioridade quer dizer escolher qual configuração de exposição você quer controlar – Abertura ou Velocidade do Obturador –, enquanto a câmera automaticamente ajusta os outros para ter sempre uma boa exposição.


No modo Prioridade de Abertura (Aperture Priority), o mais comum em fotografia de eventos, a velocidade do obturador será ajustada automaticamente para ficar mais tempo aberto. O ideal fica em torno de 1/60 s. Se for preciso, ajuste o ISO para manter a velocidade acima desse valor e evitar imagens tremidas.

O modo Prioridade do Obturador (Shutter Priority) permite que você foque em como deseja capturar uma ação. Se deseja congelá-la ou torná-la visível, enquanto automaticamente a câmera controla a Abertura. Este modo é menos usado em eventos, mas pode ser especialmente útil se você estiver fotografando eventos esportivos e precisa garantir uma imagem nítida da ação.

QUANTIDADE ≠ QUALIDADE


Fotografar a ação humana de forma espontânea é um exercício muitas vezes de tentativa e erro. Nossa tendência, no início, é clicar sem muito controle do número de fotos, com a esperança de que uma das imagens capture a melhor expressão de forma nítida. Em ambiente de pouca luz, essa prática pode ser considerada até necessária, mas precisamos encontrar um equilíbrio na quantidade de fotos que produzimos durante um evento. Você não precisa, por exemplo, de 4 fotos do mesmo arranjo de flor ou 8 fotos iguais do salão da festa.


Um número elevado e desnecessário de imagens acelera a desvalorização do seu equipamento e tem consequências no orçamento final. Isso porque todo sensor digital tem um tempo de vida útil, uma estimativa oferecida pelos fabricantes de quantos cliques determinada câmera pode fazer antes de começar a apresentar problemas. Divida o valor da câmera pelo número de cliques estimado pelo fornecedor. O resultado é quanto custou ou custará cada clique que você faz.


A informação sobre a vida útil de uma câmera é especialmente importante na hora da compra de um equipamento usado. Mais do que saber se a câmera está aparentemente sem arranhões e em boas condições, você precisa se informar sobre a vida útil estimada pelo fabricante e quantos cliques já foram realizados com ela.

TENHA BOAS MANEIRAS E SEJA CORDIAL


O marketing pessoal é importante, mas lembre-se: o evento não é sobre você, portanto, mantenha uma postura neutra e educada com as pessoas, não atrapalhe a diversão dos convidados e respeite as regras do local. Sim, alguns eventos possuem regras preestabelecidas, especialmente se são mais formais ou assistidos por pessoas importantes, então, mantenha-se informado. É comum, por exemplo, casas de espetáculos e shows estabelecerem área restrita de circulação para fotógrafos ou mesmo igrejas que não permitirem o uso de flash ou que fotógrafos e cinegrafistas circulem pelo altar.


Se um convidado percebeu que está sendo fotografado e virou para a direção oposta à câmera, respeite. Fique atento a sinais de desconforto, só porque uma pessoa está atendendo a um evento não significa que ela queira ser fotografada. O mesmo vale para momentos de descontração como uma pista de dança, nunca interrompa uma ação para tentar fotografar uma cena.


Lembre-se que algumas pessoas ficam exaltadas ou até mesmo bem alteradas em alguns eventos e, em algumas situações, podem fazer brincadeirinhas ou falar bobagens. Gerencie suas emoções e não desfoque daquilo que você está fazendo.


Não esqueça de outras equipes que também estão prestando um serviço como você. Uma das relações mais delicadas e de maior reclamação durante um evento é a do fotógrafo com a equipe de filmagem. Se você espera respeito e profissionalismo, aja de forma recíproca, respeite o espaço do cinegrafista, não entre na frente da câmera e fique sempre atento se está dentro do quadro da filmagem.

ENSIOS FOTOGRÁFICOS, O REGISTRO DA VIDA PRIVADA


Você saberia listar rapidamente três tipos de ensaios fotográficos que estão relacionados com a vida privada e o ato de guardar memórias? Você possui um álbum fotográfico de quando era criança? Ele foi feito em estúdio ou é composto de fotos amadoras? Que sensações as suas fotos de criança lhe causam?



Ensaio fotográfico é uma categoria de retrato que, assim como eventos, se divide em vários temas, cada um com suas particularidades e desafios. São registros de memória, mas também estão relacionados a momentos de celebração, um noivado, uma gravidez, a chegada de um bebê, os 15 anos, um nu artístico ou um animal de estimação. E independentemente de onde são realizados, podem assumir um estilo formal com fotos posadas ou um estilo mais espontâneo e descontraído. A seguir, vamos observar algumas características e formas de atuação para quem se interessa por esse nicho.

PRÉ PRODUÇÃO


A primeira grande diferença entre fotografia de eventos e ensaios fotográficos é o fato de que aqui a produção de cena passa a ser responsabilidade do fotógrafo. Veja isso como um benefício, é a sua oportunidade de fazer escolhas, estabelecer uma identidade pessoal e direcionar o seu trabalho para o caminho que sempre sonhou.


Mas é claro que esse poder vem acompanhado de responsabilidades. É sua tarefa planejar com antecedência os detalhes ou, no mínimo, instruir o cliente sobre o que deve ser feito. O nível de planejamento varia, se estamos falando, por exemplo, de uma sessão newborn (do inglês recém-nascido) em estúdio, o cliente vai esperar que você forneça toda a estrutura necessária para o ensaio.