Influenciadores Digitais, eis a questão

Atualizado: 4 de nov. de 2021

Queira ou não a gente vive ouvindo falar e já fomos impactados por algum influenciador digital.

Dos últimos 10 anos para cá, os influenciadores digitais alcançaram um status de grandes estrelas da publicidade e do marketing jamais imaginado. O poder dos influenciadores se tornou uma coisa cotidiana e normal em nosso dia a dia e, parece que não vai mudar tão cedo. A pergunta que não quer se calar é:


quem são essas pessoas que "surgiram do nada” e de repente, passaram valer milhões?

Muito diferente de uma celebridade criada pelo cinema ou pela televisão, os influenciadores digitais são pessoas, personagens ou grupos que se popularizaram nos canais sociais por conta de conteúdos irreverentes, descontraídos, sérios, educativos, musicais, artísticos, ativistas ou polêmicos. O que devemos prestar muito atenção é: eles são desenvolvedores de conteúdos. Por este motivo, estamos falando de um conjunto de técnicas e recursos de produção multimídia muito bem estrategiadas para chegar até um determinado público.


Não importa se é uma pessoa, animal ou animação, sempre há uma estratégia por trás daquele influenciador digital.

As garotas e os garotos-propaganda mudaram!

Com a massificação da internet e das redes sociais surgiram essas “pessoas normais” que queriam ser o 1 entre 1 milhão.


Pense assim: antigamente a gente era impactado por celebridades “escolhidas" pela mídia e hoje, com as redes sociais, nós podemos ter a opção de escolha de quem queremos seguir. Assim ocorreu uma mudança comportamental radical em nosso planeta porque os influenciadores, aquelas “pessoas normais” se tornaram os novos formadores de opinião que regem sua massa.



POR QUE ELES FAZEM TANTO SUCESSO?

Os influenciadores digitais fazem tanto sucesso por dois grandes motivos que são: 1) as pessoas se identificam com seus comportamentos que antigamente eram repreendidos por conta de imposições da antiga mídia de massa mas hoje se sentem representadas; 2) todo o resto de conceitos e formalidades não importa mais, as pessoas aprenderam ser felizes como são e com aquilo que tem. Isso gerou a descoberta de novas personalidades e desejos mútuos que descobrimos espelhados pelo Brasil afora.

Por um grande período tivemos a crise da televisão. O YouTube até pouco tempo atras era 68 vezes mais assistido que a Rede Globo. Imagine isso em números… ($). A Globo e tantas outras emissoras não aceitavam citações de redes sociais porque os enxergavam como “inimigos”. Com o “boom" da pandemia os comportamentos foram mudando e a conscientização de que existe lugar para todos finalmente chegou nas telonas e nas telinhas. Hoje temos propagandas de redes sociais na televisão e citações de personalidades da TV referenciando os canais sociais de seus programas.

Finalmente temos ouvidos para aquilo que gostamos. Isso mesmo. Nós, pessoas normais, conseguimos impactar grupos de pessoas, estimular e incentivar atitudes e tomadas de decisão, engajar com quem jamais seria acessível ou alcançável em outro ambiente fora da internet e das redes sociais.

Eu me lembro como se fosse hoje. Em 2008 em um workshop com João Marcello Bôscoli ele disse:


“hoje tem muita banda no YouTube que nem famosa é e já faz mais show que muito artista.”

Imagine agora então…


Ser um influenciador digital está nos sonhos de muitos, inclusive das crianças.Basta perguntar o que ela quer ser quando crescer. Pois é. Os tempos mudaram. Se para a geração X esse formato de comunicação ainda é algo incerto, para a millenial e a geração Z é natural demais.



COMO INCLUIR INFLUENCIADORES DIGITAIS NAS AÇÕES DE MARKETING

Antes de tudo, é preciso deixar bem claro que: SIM, o marketing de influencia é uma realidade sem volta.

Em uma pesquisa realizada pelo Facebook em 2019, 63% dos usuários afirmaram que gostam e recomendam produtos citados por influenciadores digitais, 55% disseram que as recomendações feitas por influenciadores são menos invasivas que os anúncios das demais mídias tradicionais, e, 50% costumam pesquisar opniões de influenciadores antes ed comprar produtos ou serviços.

A pesquisa também apontou que 71% dos brasileiros seguem algum influenciador digital, 86% já descobriram um produto por conta de um influenciador 73% já adquiriram um produto por conta de uma opinião de um influenciador.

Mas por que às vezes esse tipo de referência não dá retorno?

Vamos ter uma série de motivos e razões e, entre eles estão: você tem que criar uma estratégia completa de comunicação e marketing junto da equipe do influenciador escolhido; outra questão é: o influenciador escolhido tem congruência com o público do serviço ou produto que você quer ofertar? E a outra questão é: qual o período da sua campanha de marketing? Muita gente acha que uma presença ou citação irá mudar de uma hora pra outra o resultado das vendas. SQN ("só que não”). Marketing é sinônimo de relacionamento. Então não faça nada por impulso e atropeladamente que seu resultado será atropelado também.



APRESENTANDO OS NOVOS 4Cs


Eita… mas não eram 8Ps?

Assim como tantas belas teorias da comunicação, da publicidade e do marketing, algumas não são mais tão eficazes como antigamente. Vamos conhecer a nova realidade? C 1

O primeiro C remete a cocriação, um elemento fundamental para o estímulo de uma marca é entender o que as pessoas esperam dela. Se você fizer uma campanha com um planejamento realmente bem estruturado e eficaz, os influenciadores poderão ajudar ainda mais nesta etapa. C 2

O segundo C refere a competência. Você e seu time são realmente competente para lidar com as adversidades que surgem no universo online? Como vocês lidarão com a disseminação de uma menção negativa, de um hatter ou de uma fake news? C 3

O terceiro C refere a sua comunicação. Você dispõem de um planejamento de mídia e conteúdo online para o ano todo e para as suas ações e campanhas esporádicas?


C 4

O quarto C refere a sua rede de contatos e relações. É a chegada a hora de se perguntar: "com quem realmente eu posso contar?" Pode parecer papo de vó mas “uma andorinha sozinha não faz verão”. É isso aí. Você precisará saber quem serão seus parceiros, aliados e embaixadores nessa jornada. Em todo caso, a presença dos influenciadores digitais poderão servir como fonte de estímulo.



Talvez isso lhe pareça um tanto confuso na hora de decidir quem contratar na hora de escolher um influenciador. Então aí vão algumas dicas para você se atentar: • Busque influenciadores diretamente relacionados ao seu mercado de atuação, que possam realmente impactar nas conversões e vendas do serviço, curso ou produto que você oferece. • Analise os canais sociais desses influenciadores. Ter muitos números de seguidores não quer dizer que há uma grande porcentagem de engajamento. Descubra se de fato são seguidores reais e, principalmente, se seguidores são seu público-alvo

• Estude o nível das pessoas que engajam com o influenciador digital almejado pois, da mesma forma que se compra seguidores também se compra curtidas e views.

• Busque saber sobre os resultados de campanhas realizadas com outras marcas, empresas e negócios.


• Quem realmente é bom abre os dados do Analytics e da receita gerada. Por isso atente-se!


• Tenha uma ação de marketing em paralelo a campanha com o influenciador. Defina seu planejamento de mídia e conteúdo ao longo do período desta ação com o influenciador e um processo hard de tráfego online.


0 comentário

Posts recentes

Ver tudo