O Que É A Linguagem Sonora E Musical?

O som desenvolve o tempo, constrói narrativas, desperta emoções e ajuda evidenciar pontos estratégicos em um filme, vídeo, conteúdo online ou qualquer outro tipo de peça audiovisual


O QUE É MÚSICA?


Música é uma relação sonora entre espaço, energia e força.

A música só faz sentido no cérebro quando ela chega no nosso sistema nervoso.

A música é a energia da metafísica transformada em arte.


Embora existam diversas definições do que é música, aí foram algumas das que eu mais gosto.


O som é um movimento de ondas que se propagam pelo ar através de um meio.

O som tem quatro componentes que são: timbre, altura, intensidade e duração.



Timbre

O timbre é o que dá a característica do som.

Embora existam diversas análises físicas, sociais e psicológicas sobre o timbre, devemos entendê-lo e defini-lo como a identidade do som.

Se você começar escutar de forma isolada o timbre de cada instrumento musical e suas possíveis variantes, compreenderá quais instrumentos compõem cada música que você ouve.

Altura

Intensidade

Duração


O QUE É UMA FREQUÊNCIA?


Uma frequência é quantas vezes uma corda, uma superfície sólida ou uma membrana vibra para produzir uma nota musical.

Cada freqüência dá um nome à uma nota musical, que são subdividias por seus timbres e altura.

Nós humanos, ouvimos entre 20Hz e 20Kz. A música e os sons que nós humanos ouvimos sempre irão variar entre 100Hz e 15Khz.

Quão mais agudo o som, mais alto ele é e, consequentemente, quão mais baixo um som, mais grave ele é.


Frequências agudas, principalmente, quando tocadas repetitivamente, sugerem o medo. Os filmes Psicose e De Olhos Bem fechados, são exemplos clássicos do cinema.


Vamos analisar uma tabela de frequências e os instrumentos musicais mais clássicos dentro dessa tabela?

Os equalizadores são recursos que temos para ajustarmos as frequências sonoras.



APARELHO AUDITIVO


Ouvir é fenômeno que eu, você ou qualquer outro animal na maioria das vezes também são dotados dessa capacidade.

Escutar, está relacionado à decodificação de frequências quando nos propomos a isso.

Quando estamos num restaurante com música ouvimos, estamos ouvindo a música, pois estamos imersos a outras relações sociais.


Já quando vamos à uma sala de concerto musical, temos a capacidade de desenvolvermos a competência da escuta.


O ouvido humano é o órgão mais complexo do corpo, além de possuir os menores ossículos do organismo humano.


O ouvido externo, o ouvido médio e o ouvido interno apuram as complexidades sonoras inicialmente através das cartilagens, e que chega até o nosso cérebro, onde nossas reações se fazem presentes. Ou seja, a música só faz sentido para o cérebro quando deixa de ser música. Isso mesmo! Quando ela se transforma em uma onda mecânica se tornando um pulso nervoso que conhecemos como energia, eletricidade. Por isso a música é energia e por isso, muitas vezes nos arrepiamos e nos emocionamos quando ouvimos música.



O último osso que vemos em nossa imagem se chama cóclea, que é todo enroladinho como um caracol. Dentro desse osso, existe um liquido viscoso que leva a uma pintura ponta onde temos alguns pêlos microscópicos chamados de células basilares ou células ciliadas.


Quando a onda mecânica aparece, esses pêlos se movimentam e essa onda vai direto para o cérebro que reage de formas diferentes a cada onda decodificada.


Muitos audiófilos constroem salas de audição com estruturas acústicas apropriadas para ouvirem peças musicais sem que haja nenhum tipo de interrupção.


Você não precisa fazer uma obra onde você reside, mas busque em algum momento, silenciar todo ou qualquer tipo de estímulos externos como celulares e demais aparelhos para ouvir a música como um todo e da mesma forma, faça isso ao assistir filmes ou webséries.


A natureza é repleta de sonoridades.Nós humanos, organizamos, desorganizamos ou modificamos essas sonoridades. E é assim que a música funciona para um João Carlos Martins, para um Tom Jobim ou para uma Anitta.


A música move os afetos e transfere qualquer uma de nossas sensibilidades.


COMO O CÉREBRO REAGE?


Você entende o quão complexo é o nosso cérebro?

Até por isso, demos início ao nosso treinamento online, partindo dele.


Você já parou para pensar em quantas recordações surgem de um momento para outro? Sim, quanta ancoragem e disparos de gatilhos nós temos e fazemos.

De repente, você está em uma determinada rua e se lembra de uma música que ouviu há 3, 5 ou mais anos atrás. Você se lembra do momento em que ouviu essa música, das pessoas que estavam ao seu redor, as frases faladas e até as roupas que estavam usando.


Esse empilhamento de âncoras e gatilhos é chamado de cérebro musical

E todos nós somos dotados dessa faculdade.


Segundo o neurocirurgião, Oliver Sacks, autor do livro “Alucinações Musicais” entre outros, tratava seus pacientes com experimentações musicais.


Sacks, define os fenômenos de “música chiclete” e de dançamos em baladas como “brainworms” ou, os vermes do cérebro que, primeiramente estimula nosso senso auditivo e em seguida, as reações do nosso cérebro.


Trate muito bem a música como um todo, afinal, você a ouve desde quando estava no útero da sua mãe!

O PROCESSO DA PRODUÇÃO DO SOM


A filosofia questiona a física na hipótese de “se uma árvore cair no deserto e não houver ninguém lá, haverá som?”.


Para que haja som, é preciso de uma fonte emissora do mesmo.


Essa fonte precisa ter três itens que são:

  • Mecanismo de excitação

  • Elemento vibrante

  • Ressoador

​MECANISMO DE EXCITAÇÃO

​SUPRIMENTO DE ENERGIA

​AS MÃOS DO INSTRUMENTISTA

​ELEMENTO VIBRANTE

DETERMINA AS CARACTERÍSTICAS FUNDAMENTAIS DO SOM

​AS CORDAS DE UM INSTRUMENTO

​RESSONADOR

​AMPLIFICAÇÃO, CONVERSÃO DA. PRESSÃO DO AR, DETERMINAÇÃO DAS CARACTERÍSTICAS

​O CORPO DE MADEIRA DO INSTRUMENTO MUSICAL

O meio de propagação é composto por:

  • O meio por si

  • Fronteiras atenuadoras

​MEIO

​PROPAGAÇÃO DO SOM

​AMBIENTE, SALA, ESTÚDIO, TEATRO